Publicado em: domingo, 22/07/2012

Número de homicídios em junho dispara em São Paulo

No mês de junho uma onda de violência atingiu São Paulo e fez com que o índice de homicídios tivesse um alto crescimento. Por conta disso, o governo Geraldo Alckimin teve um saldo negativo sendo registrado na segurança durante a sua gestão: no mês passado, o estado registrou um crescimento de 38,5% no número de casos de homicídios dolosos.

Por coincidência ou não, esse aumento no número de mortos aconteceu no mesmo período em que oito policiais militares foram executados enquanto estavam de folga. As suspeitas é que as mortes tenham sido encomendadas pelo grupo criminoso conhecido como PCC (Primeiro Comando da Capital). No mesmo período em que os policiais foram mortos, houve o registro de bases da Polícia Militar sendo atacadas além do incêndio de 15 ônibus na capital.

Em junho do ano passado foram registrados 83 casos de homicídios na cidade de São Paulo, onde 90 pessoas foram mortas. Já neste ano, os dados da Segurança Pública apresentam números diferentes. 115 e 121 boletins de ocorrência que registraram casos de homicídio durante junho. Levando em conta esses número, há uma variação entre 38,5% e 45% no aumento no número de casos de homicídios neste ano quando comparado com o mesmo período do ano passado. Vale lembrar que esses dados podem sofrer alterações já que um anúncio oficial sobre o assunto só será feito na próxima quarta-feira, dia 25 de julho.

Os locais de São Paulo onde a morte de alguns dos policiais que estavam de folga foi registrada tiveram um aumento considerável no número de homicídios. No Capão Redondo, por exemplo, aconteceram 19 homicídios nos seis primeiros seis meses de 2011. Enquanto isso, só no mês passado foram registrados 23 casos de morte, fazendo com que o número fosse 21% maior do que quando comparado com todo o primeiro semestre do ano passado.