Publicado em: sexta-feira, 11/04/2014

Novela Meu Pedacinho de Chão – Catarina está aflita com a saúde de Pituquinha

Novela Meu Pedacinho de ChãoNa Novela Meu Pedacinho de Chão, Pituca está passando por maus bocados com a saúde, a menina está ardendo em febre e Catarina fica sem saber o que fazer, preocupada com a saúde da filha. Ferdinando desabafa com Amância e diz que, a febre da irmã nem chegou a baixar direito e já voltou. Ele, sempre muito atencioso com a menina, pergunta o que ela tem, e a esposa de seu pai responde, aflita com a situação: “Garganta raspando e um pouco de coriza. Tenho para mim que isso deve ser alguma gripe”.

Apesar de toda a dureza, o coronel Epaminondas também está preocupado com a filha e, por conta disso, resolva ir até a cidade procurar um médico. Entretanto, Amancia, dá um palpite como sempre e fiz: “Se eu fosse o senhor Coronel, ia buscar este médico logo, vai que de repente é coisa séria”. A intenção dela é boa, contudo, deixam todos mais preocupados e apreensivos ainda.

Zelão vai atrás de Juliana, e Gina não gosta da ideia de deixar os dois sozinhos

Zelão, mesmo com todo seu jeito bruto, está suspirando pela Vila Santa Fé por causa de Juliana, ele que não consegue parar de pensar na professorinha, resolve ir atrás dela que está acompanhada de Gina. A ruiva, apelidada de mulher-homem, muito brava, deixa os dois sozinhos mesmo sem querer. A professor vai direto ao ponto e pergunta: “Você pode falar, Zelão. O que você quer de mim agora?”.

Ele então responde: “Nada, dona Juliana. Eu só vim saber se estava tudo bem com a senhora e com a sua escola”, usa a desculpa. A moça do cabelo rosa agradece o interesse, mas durante a conversa, ele confessa que não lhe deseja mal e se oferece para acompanhá-la até a casa do Pedro Falcão. Ela então responde de prontidão: “Não será preciso, Zelão. Eu conheço bem o caminho. Mas me diga uma coisa: você é alfabetizado?”, ela questiona. O capanga do Coronel, fica incomodado e envergonhado com a pergunta e então ela explica que deseja criar aulas para alfabetizar adultos. Ele sem perder o orgulho, recusa o convite e responde: “Sei malemá e, o que eu sei já me serve o bastante”.