Publicado em: quarta-feira, 23/11/2011

Nokia Siemens Networks anuncia demissão de 23% do seu quadro geral de funcionários

A Nokia Siemens Network, desenvolvedora de celulares, anunciou nesta quarta-feira (23) que vai cortar 17 mil postos de trabalho no mundo, medida que faz parte do seu planos de reduzir os seus custos operacionais em 1 bilhão de euros (US$ 1,35 bilhões) até o fim de 2013. Atualmente, a empresa se configura como a segunda maior fabricante de aparelhos de telecomunicação no mundo e o corte anunciado representa 23% do seu quadro geral de funcionários.

A empresa é estruturada a partir de uma joint-venture, sendo que a Nokia Siemens é formada pela finlandesa Nokia e pelo grupo alemão Siemens. Esses 23% dos seus funcionários representam 17 mil pessoas, sendo que apenas no Brasil o número de funcionários chega a nove mil. A nova proposta da empresa, que justifica a necessidade desse corte, é a de concentrar seus esforços no desenvolvimento de equipamentos de banda larga móvel e em serviços para as operadoras de telefonia.

De acordo com o presidente-executivo, Rajeev Suri, “estas reduções, enquanto desagradáveis, são necessárias – e é nosso desejo que aconteçam da forma mais justa e responsável possível, oferecendo o maior suporte possível aos funcionários e comunidades afetadas”. Para reduzir o impacto social, a Nokia se comprometeu em lançar programas locais de suporte e treinamento para recolocar os ex-funcionários dos países que forem mais afetados.

No mesmo comunicado divulgado, a Nokia explicou que deu início a essa reestruturação para garantir a competitividade a longo prazo e melhorar a rentabilidade da empresa. Até alguns meses atrás, a Nokia se configurava como o número um em participação no mercado, mas os índices de venda da empresa vêm caindo.