Publicado em: segunda-feira, 24/03/2014

Noites sem sono podem causar danos cerebrais, afirmam cientistas americanos

Noites sem sono podem causar danos cerebrais, afirmam cientistas americanosDormir mal não causa apenas stress e problemas ligados à baixa imunidade. Especialistas americanos afirmam que a falta de sono pode causar problemas muito mais graves ao organismo, como a perda de neurônios de maneira permanente. Testes realizados em camundongos demonstraram que a falta de um período adequando de sono ocasionou a morte de 25% de células específicas do cérebro. O estudo foi publicado na The Journal of Neuroscience.

Os responsáveis pelo estudo afirmam que, caso o efeito seja semelhante nos humanos, não há como compensar as horas desperdiçadas de sono. Porém, eles acreditam que em um futuro breve serão disponibilizados medicamentos que protejam o cérebro dos efeitos da correria da vida moderna.

A pesquisa foi realizada na Escola de Medicina da Universidade da Pensilvânia, avaliando as células responsáveis pela manutenção do cérebro em estado de alerta. Os ratos testados foram submetidos a padrões de sono parecidos com os de pessoas que trabalham em períodos noturnos e têm apenas quatro a cinco horas diárias para o descanso. Sob essas circunstancias, os camundongos tiveram perda de 25% dos neurônios, a maioria localizados no tronco cerebral.

Consequência grave

Para os cientistas, esta é a primeira evidência real de que não dormir direito pode ser prejudicial ao cérebro. Porém, ainda é necessário que outros estudos sejam realizados para averiguar se o efeito nos humanos segue a mesma linha dos roedores testados.

Para isso, serão realizados estudos com cérebros humanos de pessoas que, em vida, dedicavam poucas horas do dia para dormir. Espera-se identificar se houve ou não perda neurológica que possa ser identificada. Por enquanto, o estudo com os ratos segue sendo a base da hipótese para os humanos, já que os resultados são condizentes com relatos médicos sobre os efeitos da falta do sono nas pessoas.