Publicado em: quarta-feira, 16/05/2012

No Brasil, investimentos em educação e saúde ficam distantes do padrão internacional

Mesmo com o aumento dos investimentos nos últimos dez anos, os valores destinados às áreas de educação, infrestrutura e saúde no Brasil não se aproximam e estão distantes de se equiparar os padrões internacionais. As informações são de um levantamento apresentado no último dia 15 pelo Ipea, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, referentes ao de 2010.

O estudo que destaca o papel desempenhado pelas áreas sociais, na primeira década dos anos 2000, é intitulado “Brasil em Desenvolvimento: Estado, Planejamento e Políticas Públicas”, como uma forma de sustentação da economia nacional.

Os investimentos públicos na área educacional apontavam 5% do PIB, Produto Interno Bruto. O padrão internacional dos investimentos, de acordo com o Plano Nacional de Educação, em torno de 7%, deve ser alcançado apenas no ano de 2020. Dez anos trás, o investimento educacional correspondia a 3% do PIB.

Área da saúde

Já na área da saúde, os valores investidos somavam 3,77% do Produto Interno Bruto, tendo alcançado um crescimento de 1,27 pontos percentuais ao longo de dez anos. De acordo com o coordenador do estudo, Aristides Monteiro Neto, seria preciso a duplicação dos valores para que o padrão internacional de 7% seja alcançado.

Segundo declarações do presidente do Ipea, Marcio Pochmann, ainda será preciso percorrer um longo caminho para a construção de investimentos mais significativos na área social. O grande desafio é conseguir alcançar isso sem que outros investimentos, na área de infraestrtura por exemplo, sejam comprometidos.

Uma das alternativas apontadas pelo estudo é o estímulo de investimento de valores por parte do setor privado.