Publicado em: quarta-feira, 20/08/2014

Nigéria registra quinta vítima em decorrência da epidemia de ebola

Nigéria registra quinta vítima em decorrência da epidemia de ebolaNigéria registra quinta morte em decorrência do ebola no país, desta vez a vítima foi um médico que havia realizado o tratamento da primeira pessoa em que foi constatada a doença, o anúncio da morte do médico foi feito nesta terça-feira pelo Ministro da Saúde do país, Onyebuchi Chukwu.

O comunicado realizado pelo Ministro passou a informação de que o médico foi um dos pioneiros que teve contato com a pessoa que estava infectada pelo ebola na Nigéria, de acordo com o comunicado de Onyebuchi, o médico foi o que demonstrou mais experiência ao intervir nos tratamentos e cuidados para com o paciente infectado com a febre hemorrágica.

No mês de Julho, mais especificamente no dia 25 o funcionário do Ministério das Finanças da Libéria, Patrick Sawyer que tinha 40 anos de idade, morreu em um hospital localizado em Lagos apenas cinco dias após este ter chego ao país vindo em um avião que veio da Monróvia.

Mais três pessoas faleceram posteriormente de ebola, estas três vítimas tiveram contato com Patrick Sawyer, um deles era encarregado da Comunidade Econômica de Estados do oeste da África, que foi buscar Patrick no aeroporto, os outros dois eram médicos que realizavam o tratamento de Patrick.

O Ministro lamentou a morte da quinta vítima de ebola e classificou o episódio como lamentável e declarou que com a morte deste médico, o número de vítimas de ebola na Nigéria chegou a cinco.

Anteriormente a Organização Mundial da Saúde havia declarado que o número de casos de infectados por ebola na Nigéria eram 15, sendo estes todos localizados em Lagos que é a cidade que tem maior a maior população da África subsaariana, Lagos tem mais de 20 milhões de habitantes.

Segundo o balanço mais recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde demonstrado no dia 16 de agosto, a epidemia de ebola no oeste da África vitimou ao todo 1.229 mil pessoas, destas vítimas 466 foram mortes ocorridas na Libéria, outras 394 mortes ocorreram na Guiné e 365 mortes foram registradas na Serra Leoa.