Publicado em: quarta-feira, 11/01/2012

Nicolas Steno é homenageado com doodle

Nicolas Steno
Nicolas Steno, renomado cientista, recebe homenagem

Quem entrou na página do Google nesta quarta, 11 de janeiro, deparou-se com mais uma homenagem para uma importante figura histórica de nosso tempo. Hoje foi a vez de Nicolaus Steno receber um doodle especial pelo seu aniversário. O dinamarquês completa neste dia o seu 374º aniversário.

Steno nasceu em Copenhaga no ano de 1638 e morreu no dia 25 de novembro do ano de 1686, na cidade de Schwerin. O homem que morreu com pouco menos de cinqüenta anos deixou contribuições importantes para a humanidade. O primeiro fato curioso a seu respeito é que ele era bispo da religião católica, mas ao mesmo tempo desenvolvia experimentos científicos, fazendo dele um cientista. Ele foi pioneiro nos estudos sobre geologia e anatomia.

Depois de terminar os estudos em sua cidade Natal, Steno viajou pela Europa, foi para os Países Baixos, França e Itália. Durante suas viagens, esteve no meio de vários médicos e cientistas, que colaboraram com seus estudos sobre o corpo humano. Numa época onde o conhecimento científico era baseado apenas nas leituras de artigos de outros cientistas, o jovem bispo se destacou.

Nicolas Steno era um observador nato, o que lhe ajudou muito nos estudos dos artigos. Foi devido a isso que em muitos casos discordava das doutrinas convencionadas como certas, pois acreditava bastante em suas observações. Num primeiro momento, dedicou sua atenção aos estudos sobre anatomia – mais especificamente sobre nosso sistema muscular. A intenção de Steno era entender as contrações musculares. Ele utilizou de fórmulas da geometria para comprovar que o que altera quando um músculo está em contração é sua forma, e não o volume, como se costumava acreditar. Essa descoberta foi bastante importante para a humanidade, pois a partir dela novos estudos puderam ser desenvolvidos.

O bispo e cientista Nicolas Steno foi beatificado em 1987 pelo então Papa João Paulo II e alguns já falam até em canonização. Tudo isso devido à vida e obra de Steno, principalmente pela sua virtude e piedade.