Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Nicolas Sarkozy faz discurso contra imigração e levanta debates

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, discursou em Villepinte, nos arredores da capital Paris, e estimulou as discussões sobre uma possível reforma do Tratado de Schengen. Este tratado define normas com relação a livre circulação de pessoas em 26 países do continente europeu. No discurso, o candidato à reeleição criticou as regras em vigor que facilitam a entrada de imigrantes em seu país, em uma defesa que nomeou “proteção da França”.

A menos de um mês para as eleições presidenciais, Sarkozy até mesmo ameaçou suspender a participação francesa no Tratado de Schengen se reformas não fossem feitas. O presidente da França deu um tipo de ultimato para todos os seus parceiros da Europa, para que façam uma reformulação do acordo e aumentem os controles fronteiriços, a fim de evitar o ingresso de imigrantes ilegais.

Respostas ao discurso

No entanto, o discurso e as ameaças feitas pelo candidato à reeleição surtiram efeito interna e externamente. O porta-voz do governo da Alemanha, Georg Streiter, afirmou que o Tratado de Schengen é considerado “um bem precioso”. Já a comissária europeia das Relações Exteriores, Cecília Malmstrom, afirmou que as negociações para mudanças no texto estão sendo discutidas há alguns meses entre o Parlamento e o Conselho europeus.

De acordo com especialistas políticos, Sarkozy, que está liderando as pesquisas sobre a eleição pela primeira vez, deseja, com seus discursos, seduzir os eleitores de extrema direita com medidas protecionistas. O presidente francês sugeriu que o país adote uma iniciativa semelhante a dos Estados Unidos para favorecer os produtos fabricados dentro da União Europeia.