Publicado em: segunda-feira, 15/04/2013

Nicolás Maduro vence eleição e é novo presidente da Venezuela

Nicolás Maduro vence eleição e é novo presidente da VenezuelaCom 50,66% dos votos, o político Nicolás Maduro, herdeiro de Hugo Chávez foi eleito presidente da Venezuela. A eleição ocorreu após a morte do ex-presidente durante o mês de março, depois de diversas cirurgias em Cuba para que tentasse combater um câncer presente na região pélvica.

Maduro venceu a Presidência do país e governará o país até o ano de 2019, e vai dar continuidade ao mandato que Chávez iniciou em 10 de janeiro. O político, que era o presidente interino da Venezuela, derrotou Henrique Capriles o principal candidato da oposição, que contou com 49,07% de todos os votos.

O país andino contou durante este domingo (14) com uma jornada eleitoral que não teve grandes incidentes, porém foi marcada por uma tensão política por causa de insinuações de vitória que tinham sido realizadas na campanha do presidente interino Nicolás Maduro e candidato ao pleito de ontem, como também por aliados do opositor Henrique Capriles.

Mesmo antes de o boletim oficial sair, Jorge Rodríguez, chefe da campanha de Maduro, convocou eleitores para irem ao palácio presidencial para esperar pelo pronunciamento do novo presidente. Tendo um largo sorriso, ele afirmava que os governistas iriam defender o resultado pelas ruas usando como instrumento a Constituição, mesmo se a diferença fosse de apenas um voto.

Neste momento, Capriles utilizou a sua conta no Twitter, para fazer uma grave acusação para o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), dizendo que estavam permitindo votar depois das mesas terem sido encerradas.

Capriles publicou na sua conta pessoal do Twitter uma mensagem às 19h30 (21h no horário de Brasília), em que pedia que fossem fechadas as mesas de votação, afirmando que eleitores estavam votando em mesas que já haviam sido fechadas. Logo após, Capriles escreveu que alerta para o país e para o mundo que fossem alteradas as vontade que o povo expressava.

O comando de campanha dos dois fizeram acusações mútuas por irregularidades. Os governistas chegam a acusar os oponentes de terem hackeado a conta do presidente interino no twitter. Já os antichavistas fizeram denúncias de que grupos de Maduro estavam intimidando eleitores oposicionistas nos centros eleitorais.