Publicado em: segunda-feira, 06/01/2014

Nelson Ned morre aos 66 anos e é cremado

Nelson Ned morre aos 66 anos e é cremadoO conhecido cantor da década de 80 Nelson Ned d’Àvila Pinto, mais conhecido no meio musical apenas como Nelson Ned, faleceu na manhã de ontem na cidade de Cotia, região da Grande São Paulo. A assessoria de imprensa do Hospital Regional de Cotia foi quem confirmou a informação em primeira mão. O cantor estava internada no local desde a tarde do último sábado, por conta de uma grave pneumonia. A causa da morte foi apontada como complicações clínicas, mas o horário oficial do óbito não foi revelado pela família ou assessoria.

O corpo do cantor foi velado durante todo o dia no cemitério Horto da Paz, na cidade de Itapecerica da Serra, também na região da grande São Paulo. A cerimônia de cremação aconteceu por volta das 21 horas. Nelson Ned havia sido internado no sábado em estado bastante grave, porém estável, apresentando uma infecção respiratório aguda, além de problemas na bexiga e pneumonia. Apresentando problemas financeiros e de saúde há vários anos, Nelson Ned vivia em uma casa de saúde na grande São Paulo desde o último dia 24 de dezembro.

Nelson Ned recebeu como apelido durante seu período de sucesso o título de O Pequeno Gigante da Canção, já que apesar do sucesso, apresentava apenas 1 metro e 12 centímetros de altura. Ele se consagrou na década de 60 como uma das mais famosas vozes românticas do Brasil. Com a gravação de vários discos em espanhol, Nelson Ned conseguiu conquistar o sucesso internacional. Ele se tornou um ídolo em países como Colômbia, México e Argentina. Ele já enfrentava problemas de saúde há vários anos, que pioraram em 2003, ocasião em que ele sofreu um acidente vascular cerebral.

Uma das consequências do AVC sofrido foi a perda de visão de um olho. Nelson Ned passou a necessitar da ajuda de uma cadeira de rodas para se movimentar, além de desenvolver hipertensão arterial, diabetes e ter diagnosticado Mal de Alzheimer. Nos anos 90 o cantor se converteu a religião evangélica e desde então atuava interpretando sucessos do meio gospel, também em espanhol e português. Antes da conversão ele cultivava o hábito do consumo de bebidas e drogas, chegando a consumir até um litro de uísque por dia.