Publicado em: quinta-feira, 13/10/2011

Natura concilia sustentabilidade com baixos custos

Na relação entre clientes e fornecedores o preço costuma ser o ponto mais delicado. Enquanto quem vende quer ganhar, quem compra quer sempre pagar menos. Além desse equilíbrio difícil de ser alcançado, outro ponto de discussão hoje é a sustentabilidade.

A Natura, maior fabricante de cosméticos do Brasil, tem uma postura de muito respeito nesse sentido. Antes de fechar qualquer compra, os executivos passaram a avaliar o fornecedor de acordo com sete indicadores socioambientais, como por exemplo, consumo de água e emissão de carbono. Esse processo começou com a análise de 60 fornecedores de produtos (50 antigos e dez novos) que produzem sabonetes e embalagens.

Após seis meses de análise, os contratos foram fechados em julho, com o compromisso dos fornecedores de melhorar seus índices anualmente, de acordo com metas individuais de acordada entre as duas partes.

O resultado já é aparente. Foi percebida uma redução de custos de 101 milhões de reais para a Natura e um avança de 4% dos indicadores socioambientais dos fornecedores. Essa porcentagem deve triplicar nos próximos três anos. O vice-presidente de operações e logística da Natura, João Paulo Ferreira, afirmou que “nessa nova lógica, o menor preço ainda é fundamental, mas não basta”.