Publicado em: segunda-feira, 10/09/2012

NASA investe US$ 100mil em “avião ninja”

NASA investe US$ 100mil em “avião ninja”Com design inovador, em forma de estrela ninja, os cientistas americanos desenvolveram uma aeronave que pode girar 90 graus no ar para realizar um vôo de lado e alcançar velocidade supersônica.

O “avião ninja”. Como vem sendo chamado, é capaz de voar de Nova Iorque, nos Estados Unidos, até Tóquio, no Japão em um tempo máximo de quatro horas. Um dos responsáveis pelo desenvolvimento da aeronave, o professor de engenharia aeroespacial da Universidade de Miami, Ge-Chen Zha, explicou em entrevista a agência Efe que, o “avião ninja” é uma aeronave bidirecional, ou seja, é capaz de fazer o transporte de passageiros em velocidades supersônicas e também respeita o meio ambiente já que possui um consumo economicamente viável e eficiente.

A principal diferença deste modelo inovador para as demais aeronaves está na fuselagem. Ge-Chen Zha explicou que, os modelos convencionais de aviões têm um corpo com formato de tubo e duas asas inseridas nas laterais. Esse formato não é eficiente o bastante para quebrar a barreira do som, que é de aproximadamente 1.226 quilômetros por hora.

Já o modelo “ninja” possui uma estrutura com duas cabines de pilotagem, além de ser simétrico em ambos os eixos – transversal e longitudinal. Esse formato possibilita que o avião gire sobre si mesmo enquanto voa, tirando proveito aerodinâmico das duas posições.

O responsável pelo desenvolvimento da aeronave explica que a velocidade não seu único diferencial. Ele revela que o avião que possui forma de estrela também conta com outras vantagens. Zha garante que o “avião ninja” é muito mais eficiente, mais rápido e mais silencioso que todos os outros modelos de aviões supersônicos.

Nasa

A ideia de um avião bidirecional com design futurista ganhou a atenção da Agência Espacial Americana. A NASA gostou do projeto e cedeu um empréstimo de US$ 100 mil para o desenvolvimento da aeronave. A Agência possui um programa que ajuda no financiamento de projetos que representem grandes avanços da ciência e tenham potencial transformador das missões espaciais.