Publicado em: terça-feira, 04/06/2013

Nações Unidas diz que há motivos para acreditar em uso de armas químicas na Síria

Nações Unidas diz que há motivos para acreditar em uso de armas químicas na SíriaUm relatório que a comissão de investigação da Organização das Nacões Unidas (ONU) organizou sobre os direitos humanos na Síria, que foi divulgado durante esta terça-feira (4), afirma que há motivos para acreditar que houve o uso de armas químicas nos confrontos do país durante os últimos meses. A Comissão Internacional de Inquérito que o brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro preside aponta que existem denúncias do uso de armas químicas dos dois lados, e que grande parte se refere a utilização do governo do Presidente Bashar Al-Assad.

Esta utilização das armas químicas havia sido estabelecida pelo presidente Barack Obama dos Estados Unidos como sendo uma linha vermelha para o regime do presidente sírio Bashar al-Assad. Conforme Obama, a utilização do armamento iria implicar em uma alteração no jogo atual o que pode sugerir uma entrada dos Estados Unidos neste conflito.

A comissão aponta no texto que o governo tem uma grande quantidade de armas químicas e grupos armados antigoverno podem ter acesso a ele e usar esse tipo de armamento, porém não existem evidências que sejam convincentes de que os grupos armados tenham as armas ou sistemas para o lançamento.

O texto ainda cita quatro ataques que ocorreram entre os dias 19 de março e 29 de abril deste ano, sendo dois na cidade de Aleppo, um na capital Damasco e outro em Idlib, em que foram utilizados agentes químicos ainda que em quantidades limitadas. Porém não foi identificado quem seria o autor destes ataques.

O período que o novo relatório abrange é entre o dia 15 de janeiro até 15 de maio, e conta com 430 entrevistas e demais evidências que foram coletadas. A comissão foi proibida mais uma vez de entrar no país.