Publicado em: sexta-feira, 31/10/2014

Mulheres tem maior participação em mercado de trabalho mas possuem menos registro em carteira

Mulheres tem maior participação em mercado de trabalho mas possuem menos registro em carteiraO IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, publicou nesta sexta-feira dados do estudo de “Estatística de Gênero” em que revelam que apesar de as mulheres terem tido aumento de sua participação dentre o mercado de trabalho, num período que compreende uma década, ainda sim elas possuem menos registro em carteira do que os homens.

Baseado nos dados contidos no Censo, é possível constatar que o número de mulheres que tinham carteira assinada era de 3.8% em relação aos homens, diferença essa que teve um aumento, de acordo com os dados colhidos em 2010, onde o número aumento para 6.7%.

Os dados referentes ao Censo do ano 2000 demonstram que 36.5% dos homens com faixa etária de 16 anos ou mais exerciam trabalho com registro na carteira profissional, já no ano de 2010 esse número aumentou dez pontos percentuais e ficou em 46.5%, enquanto que no caso das mulheres a porcentagem passou de 32.7%, índice registrado no ano 2000, para 39.8% em 2010, sendo assim a alta de mulheres com registro em carteira profissional ao longo de dez anos cresceu 7.1%.

De acordo com os dados colhidos no Censo foi possível constatar que o maior número de mulheres que trabalham com registro em carteira estão localizadas em Florianópolis, lá 76% das mulheres exercem trabalho com registro em carteira profissional.

A pesquisa do IBGE também revela que mais mulheres estão trabalhando, o número que correspondia as mulheres ativas no mercado de trabalho em 2000 era de 50.1% e em 2010 passou a ser de 54.6%, entre os homens esse número sofreu queda, já que em 2000 a taxa de homens trabalhando era de 79.7% e no ano de 2010 passou a ser de 75.7%, segundo o IBGE essa queda no número de homens ativos no mercado de trabalho ocorre pelo fato de ter aumentado o número de homens que não estão empregados e que não estão a procura de um emprego.

Com base nos dados gerais colhidos nestes Censos é possível afirmar que houve um aumento no número de pessoas que estão trabalhando com registro em carteira, o que é intitulado de trabalho formal, com isso os trabalhadores tem seus direitos trabalhistas garantidos como férias, FGTS, 13º salário, dentre outros benefícios.