Publicado em: sábado, 21/01/2012

Mulheres que colocaram prótese de silicone apos câncer de mama terão atendimento prioritário no SUS

As mulheres que colocaram próteses de silicone da marca Rofil ou PIP após caso de câncer de mama terão atendimento prioritário para realizar a troca do implemente. O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (19) as diretrizes aplicadas para a substituição das próteses adulteradas. Estes casos serão atendimentos através do Sistema Único de Saúde (SUS) e também pelas operadoras de planos de saúde.

Nas últimas semanas, as próteses de silicone de ambas as marcas foram diagnosticadas pela presença de material industrial, que pode conter em sua composição materiais cancerígenos. A troca das próteses de silicone é indicada para os casos de rompimento.

O Ministério ainda determinou que todas as mulheres, mesmo que não apresentem sintomas, que que possuam as próteses das marcas suspeitas, passem por exames de avaliação para confirmar se ao existe risco de rompimento. O exame indicado é a ultrassonografia, mas os casos em que não for possível realizar um diagnostico, também poderá ser feita uma ressonância magnética.

As mulheres que não apresentaram rompimento não serão indicadas para fazer a troca gratuita, porém, deverão realizar monitoramento médico a cada três meses. O Ministério determinou que tanto os casos de fins reparadores quanto estéticos que apresentarem ruptura deverão ser cobrimento gratuito total para a substituição.