Publicado em: sexta-feira, 23/12/2011

Mulheres com próteses mamárias com defeito devem retirar implantes

O ministro de Saúde da França, Xavier Bertrand, indicou que as mulheres que possuem implantes mamários da empresa Poly Implant Prothèse (PIP) retirem as próteses em caráter preventivo e não emergencial, mesmo que os implantes não apresentes sinais de deterioração. Aproximadamente 30 mil mulheres francesas colocaram as próteses desta marca. Algumas estão cheias de gelo de silicone não médico, que causa risco de ruptura do implante.

O ministro fez a recomendação em um comunicado, afirmando que a proposta deve ser feita as mulheres que estiverem interessadas na remoção, mesmo com próteses sem defeito. Até este anúncio, as autoridades do país haviam recomendado que as mulheres que tivessem as próteses PIP fossem a um cirurgião para se certificar sobre o estado do implante.

Desta forma, as mulheres fariam exames clínicos e radiológicos para verificarem se suas próteses deveriam ou não ser retiradas. De acordo com uma análise clínica anunciada nesta quinta-feira, dia 22 de dezembro, pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), não é possível saber se o aumento de câncer nas mulheres que usam implantes desta marca é maior em relação as próteses de outras empresas.

Porém, de acordo com o ministério, estes implantes já possuem riscos conhecidos, como a ruptura da prótese e propriedade irritante de sua composição, e isto pode provocar reações inflamatórias. Oito casos de câncer foram diagnosticados nas mulheres que possuem as próteses da PIP.