Publicado em: sexta-feira, 23/09/2011

Mulher que fingiu a própria morte quer se tornar vereadora na Bahia

Erenildes Araújo pretende usar a seu favor a fama que ganhou por forjar a própria morte. A mulher, da cidade de Pindobaçu, Bahia, “deveria” ter sido assassinada, mas o seu assassino fez um acordo com ela, e os dois fingiram que ela estava morta usando ketchup. Agora, Erenildes, conhecida como Lupita, quer se tornar vereadora.

Ela afirma que estava evitando andar pelas ruas porque estava com vergonha do ocorrido e com o assédio que estava recebendo. Mas agora começou a enxergar uma possibilidade de entrar na política. O prefeito da cidade, Hélio Palmeira, disse que ela tem chances de se eleger.

O crime para matar Erenildes foi encomendado por uma mulher que estava com ciúmes do marido. A mulher disse que Erenildes teve um relacionamento com seu atual marido. Porém, pelo que se pode notar, a mulher não foi morta e ainda se tornou famosa.

A mulher descobriu que o assassinato não foi realizado quando encontrou Erenildes em uma festa beijando o homem que contratou para matá-la. De acordo com o delegado, Marconi Lima, que investiga o caso, três dos envolvidos respondem processos na justiça, porém ninguém está preso porque não aconteceu um flagrante.