Publicado em: terça-feira, 12/11/2013

Mulher dá à luz em meio a escombros de tufão nas Filipinas

Mulher dá à luz em meio a escombros de tufão nas FilipinasEm meio a tantas notícias de morte pelo desastre causada pelo tufão Haiyan nas Filipinas, um nascimento está sendo visto como milagre depois de tudo o que aconteceu. O aumento do número de mortes com a passagem do tufão é crescente, mas a população sobrevivente da tragédia agora comemora o nascimento de uma criança na cidade de Tacloban, batizada como Bea Joy. Emily Ortega, de 21 anos, é a mãe do bebê. Ela é uma das centenas de milhares de pessoas que terminaram desabrigadas pelos estragos da tempestade, que atingiu o país na última sexta feira. Segundo estimativas, mais de dez mil mortes já podem ser sido causadas pela tempestade.

O bebê nasceu de parto normal, com saúde boa, em um hospital de campanha. A estrutura foi montada em meio aos escombros do restou do aeroporto que havia na cidade. O nascimento foi motivo de esperança e alegria para outros desabrigados e até mesmo os soldados que trabalham no resgate dos desabrigados. A mãe declarou que o bebê é seu milagre, que seu maior medo era morrer com a filha dentro dela, quando as ondas chegaram até sua residência.

Emily morava na cidade litorânea de San José, em uma frágil casa de madeira que terminou completamente destruída pela tempestade. Com a força das águas da inundação, Emily foi levada, grávida de nove meses, mas resgatada pelo marido Jobert, que a encontrou flutuando em meio aos restos da residência. O casal ficou refugiado em uma escola, onde outros sobreviventes se escondiam. Eles ficaram por horas no local aguardando resgate, tendo apenas algumas garrafas de água para beber.

Foi somente no momento em que a jovem entrou em trabalho de parto que eles decidiram sair em busca de ajuda. Eles caminharam alguns quilômetros do abrigo e conseguiram uma carona até o hospital improvisado em Tacloban, que concentra as equipes de resgate. De acordo com os médicos, Emily já estava com a bolsa rompida quando chegou.

No momento, mãe e bebê estão com a saúde estável, mas apresentam um alto risco de infecção, por conta da precariedade das condições higiênicas do hospital. Os instrumentos que foram usados no parto, não puderam ser esterilizados. O nome do bebê, Bea Joy, foi escolhido como homenagem a mãe de Emily, Beatriz, que segue desaparecida depois da inundação.