Publicado em: segunda-feira, 17/03/2014

MT: Governo recua perante rejeição popular, e desiste de pedágio na MT-251

MT: Governo recua perante rejeição popular, e desiste de pedágio na MT-251O governo do Mato Grosso desistiu oficialmente da criação de quatro praças de pedágio na MT-251, que liga Cuiabá a Campo Verde, passando pela Chapada dos Guimarães. Segundo o governador Silval Barbosa, não haverá privatização da via. Desde a concepção, este projeto foi muito criticado pela população.

Os valores ficariam entre R$ 4,10 e R$ 7,35. Barbosa, que não vai concorrer a reeleição, deixou claro que o recuo tem cunho eleitoral, e que não quer que uma privatização prejudique o candidato ao qual dará seu apoio.

Ele garantiu que cumprirá seu mandato até o fim, e que nesse tempo pretende revitalizar toda a rodovia, buscando autorização ambiental para a duplicação da estrada entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães. Silval Barbosa afirmou que o projeto já tem R$ 24 milhões assegurados.

Polêmica desde o começo

A revolta da população com a privatização da via começou já na fase de estudo de viabilidade. Uma empresa contratada pelo governo previa a concessão a MT-251 entre Cuiabá e Campo Verde, além de outros 13 km entre a MT-140 e o entroncamento da BR-070. Ao todo, seriam privatizados 148 km de estradas. Das quatro praças de pedágio previstas, três seriam instaladas entre Cuiabá e Chapada, e a outra entre Chapada e Campo Verde.

Os valores para circulação seriam diferenciados, com R$ 4,10 em dias úteis nas três primeiras praças, e R$ 7,35 na restante. Porém, os valores nas praças de pedágio da entrada e da saída do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, seria de R$ 6,60 nos fins de semana.

Lideranças comerciais e comunitárias realizaram audiências públicas a respeito do tema, e após o elevado número de opositores ao projeto, o governo pediu um novo estudo. Além disso, fez duas novas propostas, uma com três praças de pedágio (duas entre Cuiabá e Chapada e uma entre Chapada e Campo Verde), e a outra com quatro pontos (dois entre a capital e Chapada, e dois entre Chapada e Campo Verde). Nenhuma das ideias foi aceita.