Publicado em: segunda-feira, 03/03/2014

MT: Fatores externos prejudicam resultados da safra de soja, que já teve perdas de 2%

Safra de soja já teve perdas de 2%As chuvas contínuas na região do Mato Grosso seguem sendo o principal vilão para os resultados da colheita dos grãos nesta safra, especialmente da soja, que coloca o estado como principal produtor do país. Além disso, os produtores sofrem com a falta de caminhoneiros e as estradas em péssimas condições.

Por todo o estado, lavouras estão alagadas, e o prejuízo é considerado uma certeza entre os produtores. E como a colheita não pode seguir nessas condições, os grãos começam a brotar nas vagens. Além disso, as constantes chuvas estão acelerando a deterioração das rodovias que cortam o Mato Grosso.

Na BR-163 encontra-se o pior caso. Principal via para o escoamento da safra , a estrada ficou inundada após o rompimento de uma barragem entre Sorriso e Lucas do Rio Verde, que são as principais regiões produtoras. Com apenas uma pista liberada, diversos danos e acidentes, a movimentação ficou bastante afetada.

A alta do Rio Madeira, que afeta especialmente a população de Rondônia e do Acre, também reflete no escoamento da produção da soja mato-grossense, já que o porto flutuante de Porto Velho (RO) foi fechado por dois dias, e por lá se dá vazão a boa parte da produção de soja do Mato Grosso. Apesar do funcionamento normalizado, houve grande atraso nas saídas dos granéis.

Falta mão de obra para o escoamento

Entre os principais fatores que dificultam a saída da produção está a falta de caminhoneiros para deslocar os grãos. Como não há transporte ferroviário para auxiliar, toda a safra é transportada pelas estradas. Para se ter uma ideia, caso a safra precisasse ser transportada de uma vez só, seriam precisos 675 mil caminhões bitrem que transportassem 40 toneladas cada.

Nem mesmo o reforço na frota e o aumento nas vendas de caminhões em 2013, que quase dobrou, colaboraram para um escoamento mais ágil neste ano. Com isso, o valor do frete está sendo bastante inflacionado, e os motoristas aproveitam para faturar mais. Segundo a Associação dos Transportadores de Cargas (ATC), são necessários mais de 2 mil motoristas para suprir os problemas do escoamento da safra no MT, e este problema não se limita ao estado. No país, o déficit é de 300 mil profissionais.

Até o momento, estima-se que pelo menos 2% da safra tenha sido perdida por estes fatores.