Publicado em: terça-feira, 17/04/2012

MST invade sede do Ministério do Desenvolvimento Agrário

O prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, localizado na Esplanada dos Ministérios, foi invadido por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). A ocupação aconteceu ao longo da madrugada de ontem, segunda-feira (16). De acordo com os trabalhadores do setor rural, a reforma agrária não tem avançando no Brasil, tendo os recursos diminuídos no na área de desapropriação de terras pelo governo federal.

Os integrantes da manifestação solicitam ainda melhores condições trabalhistas, além de um plano de assentamento para mais de 180 mil famílias acampadas e o desenvolvimento de um programa para evolução dos assentamentos.

Medidas

As entradas do prédio foram fechadas por motivos de segurança, como forma de medida preventiva. A Polícia Militar estimou que local estivessem aproximadamente 1,5 mil manifestantes, sendo que 300 deles estavam no interior do prédio. Aproximadamente 20 policiais foram designados para realizar a segurança.

De acordo com informações da Polícia, uma parte dos manifestantes ocupava a portaria da sede, enquanto outra parte do grupo protestava do lado de fora. Um dos manifestantes chegou a subir na marquise do local com a intenção de hastear uma bandeira, mas acabou sendo retirado sendo retirado por seguranças do local.
A manifestação faz parte da Jornada Nacional de Lutas por Reforma Agrária. Esta jornada é uma ação promovida pelo MST anualmente nos meses de abril, mesmo mês em que 21 trabalhadores rurais sem terra foram assassinados, num episódio que ficou marcado como Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará.

Alexandre Conceição, integrante da diretoria nacional do Movimento, declarou que o primeiro ano do Governo Dilma foi o mais difícil no âmbito criação de assentamentos, quando analisados os últimos 16 anos. Ainda neste mês, lembrou ele, o Ministério do Planejamento cortou do Incra mais de 60% do orçamento. Este corte provavelmente irá inviabilizar programas de assistência técnica.