Publicado em: quarta-feira, 08/08/2012

MP do Paraná quer condenação da TIM por derrubar ligação feita pelo plano Infinity

MP do Paraná quer condenação da TIM por derrubar ligação feita pelo plano InfinitySegundo relatório feito pela Anatel e enviado para o Ministério Público do Paraná, a operadora de telefonia móvel TIM fez cobranças indevidas aos clientes ao derrubar propositalmente as ligações feitas dentro do plano Infinity. Neste plano oferecido pela empresa, o preço é cobrado por ligação e não pelo tempo de chamada. Dessa forma, o relatório alega que a empresa derrubava as ligações em execução para cobrar novamente por uma segunda chamada. Os clientes reclamam que sofrem por frequentes problemas da operadora e que o principal deles é o desligamento das chamadas. O relatório que concluiu que a TIM derrubava as ligações faz parte da ação que foi protocolada pelo Ministério Público (MP) do Paraná ontem e que pede a condenação da empresa na justiça e o corte novamente dos serviços prestados pela operadora no estado.

MP quer que empresa faça ressarcimento dos clientes

Além de suspender pela segunda vez os serviços da empresa no estado, o MP pede que a TIM devolva os valores cobrados indevidamente aos clientes quando a chamada foi desligada sem motivo. Isso vale para os clientes que possuem o plano Infinity. O MP pede ainda que a empresa seja condenada por dano moral coletivo. Isso se deve ao fato de que clientes do plano tiveram uma média quatro vezes maior quedas nas ligações do que os clientes que pagam tarifa por minuto e não por chamada. Segundo o relatório da Anatel há uma discriminação aos clientes que fazem parte do plano. A Agência alega que não há explicação para a assimetria entre as duas modalidades e o percentual de desligamento que ocorre em cada uma delas. O percentual de ligações interrompidas chegou a 35,2% em todo o país de acordo com a análise. O previsto é de no máximo 2%.