Publicado em: quarta-feira, 04/07/2012

Motoristas de ônibus entram em greve no Recife

Os motoristas e cobradores de ônibus de Recife entraram em greve nesta quarta-feira (4). Além de prejudicar a vida dos moradores da cidade, a paralisação dos funcionários também está complicando a vida dos moradores das cidades que fazem parte da região metropolitana de Recife, como de Olinda e Paulista.

Segundo a Grande Recife Consórcio de Transporte, 53% das ônibus que fazem parte da frota que atende essas cidades não estão circulando. São 1.200 ônibus circulando, o que seria insuficiente para atender a população e isso fez com que um problema fosse registrado no terminal de Igarassu. “Ainda que de forma precária, todas as linhas estão operando”, afirmou Taciana Ferreira, que é diretora de operações da Grande Recife Consórcio de Transporte.

Ainda não se sabe quantos funcionários aderiram à greve, que foi decretada ontem, terça-feira (03), por tempo indeterminado. A paralisação está atingindo cerca de dois milhões de pessoas que utilizam o sistema de transporte público na capital de Pernambuco.

A greve começou depois que os motoristas, cobradores e fiscais de linha rejeitaram o reajuste de 7,5% que foi oferecido pelo Sindicato das Empresas de Transporte durante uma reunião realizada na última segunda, 2 de julho.

Os trabalhadores querem um aumento de 30%. O reajuste de 7,5% deixaria os salários dos grevistas da seguinte forma: os cobradores, que recebem R$ 643, passariam a ter um salário de R$ 690; fiscais e despachantes, de R$ 903 para R$ 970; motoristas, de R$
1.395 para R$ 1.500. Além disso, o tíquete alimentação subiria de de R$ 140 para R$ 160. Já aqueles funcionários do transporte público que não tem sindicatos, como mecânicos e borracheiros, receberia, um reajuste de 7%.

Enquanto a greve não termina, a empresa que controla o transporte na cidade disse que irá alternar a presença dos veículos nas linhas menos movimentadas para as linhas que apresentam maior demanda no número de passageiros.