Publicado em: segunda-feira, 19/03/2012

Motorista embriagado mata dois e deixa um desaparecido no litoral gaúcho

Na tarde do último sábado (17), um carro conduzido por um motorista bêbado caiu de uma ponte, matando dois pescadores, no litoral norte do Rio Grande do Sul. Além disso, o carona do veículo se encontra desaparecido e duas vítimas estão hospitalizadas. O responsável pelos crimes, Iberê Vargas Braga, de 21 anos, foi preso e deverá responder por homicídio doloso com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

O acusado estava dirigindo sua S-10 no momento em perdeu o controle, bateu em um Focus e colidiu com a mureta que protege a ponte que liga as praias de Tramandaí e Imbé, sobre o rio Tramandaí. Na hora em que o acidente ocorreu, aproximadamente 40 pessoas estavam pescando no local.

O veículo atingiu Euclides Capellari, de 71 anos, e seu filho, Gilmar José Capellari, de 44 anos. O idoso morreu no local, já o corpo de seu filho só foi localizado no começo da manhã de domingo (18), em uma lagoa perto dali.

O condutor da S10 ainda atropelou mais quatro pessoas, sendo que duas delas ainda estão hospitalizadas. Uma delas, Marlene de Oliveira, de 65 anos, está no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, aguardando uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Já a outra, Rosa Maria de Oliveira, de 47 anos, está no Hospital de Tramandaí, contendo fraturas expostas. Os outros atropelados, Danilo Grisa e Eugênio Rodrigues da Silva, os dois com 63 anos, receberam atendimento no Posto 24 horas de Tramandaí e foram liberados em seguida.

Edson Dullius Júnior, de 19 anos, que ocupava o banco carona da S10 ainda se encontra desaparecido. Equipes de bombeiros e mergulhadores fizeram buscas na região, mas ainda não há pistas da vítima.

Motorista foi preso em flagrante

O condutor da caminhonete estava visivelmente embriagado e foi detido em flagrante. Em seu teste do bafômetro, foram identificados 1,06 miligramas de álcool por litro de ar, e por isso ele será indiciado por dois homicídios dolosos com dolo eventual, além de quatro tentativas de homicídio. Se o carona for encontrado morto, o acusado pode responder por mais um crime. Testemunhas do acidente contaram que ao frear para evitar a colisão, o motorista confundiu os pedais e acabou acelerando.