Publicado em: sexta-feira, 14/03/2014

Motoboy brasileiro conquista o bronze na luta livre, no Chile

Motoboy brasileiro conquista o bronze na luta livre, no ChileNesta terça-feira, o Brasil conquistou uma medalha de bronze nos Jogos Sul-Americanos, que estão sendo realizados em Santiago, capital do Chile. A medalha foi conquistada por Wellington Silva na luta livre, na categoria ate 57 quilos. Atualmente com 35 anos, Wellington chamou atenção por sua história de vida. Apesar da conquista, o esporte ocupa apenas um pequeno espaço de sua puxada rotina.

Rotina

Além de lutador, Wellington é também motoboy, gerente de bufê infantil e professor, além de pai de duas crianças. Todos os dias, o lutador acordar às 6h e, após levar as filhas para a escola, vai para a farmácia onde atua como motoboy. Pela manhã, realiza cerca de 20 entregas. Então, Wellington aproveita as duas horas após o almoço para se dedicar às lutas.

A rotina de treinos acontece na Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA). Após duas horas na academia, é hora de tomar banho e retornar ao trabalho como entregador, que vai até as 19h.

Professor

Assim que deixa o serviço de entregas, Wellington se transforma em professor de luta livre, função que ocupa até as 21h. Embora receba o benefício conhecido como Bolsa Atleta, Wellington afirma que o dinheiro não é suficiente para mantê-lo sem um trabalho. De acordo com o lutador, se fosse possível dedicar-se somente aos treinamentos, as chances de se destacar mundialmente seriam muito maiores.

Vida pessoal

Wellington luta há 18 anos. Há 16, é casado com Danielle, dona de um bufê infantil. De acordo com o medalhista, sua rotina frenética costuma gerar alguns atritos em casa, devido ao pouco tempo que Wellington tem para se dedicar à esposa e às filhas. Contudo, além do prazer de lutar, Wellington também diz que precisa do dinheiro que recebe como professor de luta livre.

Para compensar sua ausência durante a semana, Wellington tenta ser mais participativo aos sábados e domingos. Nestes dias, o medalhista ajuda a esposa no bufê infantil, atuando como gerente.

Jogos Sul-Americanos

Apesar da grande honra de se disputar uma competição internacional, a ida aos Jogos Sul-Americanos, no Chile, não foi das mais fáceis. O brasileiro só pôde confirmar sua presença no evento após conseguir um substituto para sua função de entregador na farmácia. Desta vez, Wellington conseguiu com que um aluno fizesse suas entregas enquanto ele está fora. Após a conquista do bronze nesta terça-feira, o próximo objetivo de Wellington é estar presente nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que acontecerão em 2016.

Embora não tenham a mesma visibilidade midiática de outras competições, os Jogos Sul-Americanos têm sido motivo de orgulho para o esporte brasileiro. Até o momento, o país lidera com muita folga o ranking de medalhas, com 82 no total (38 de ouro, 18 de prata e 26 de bronze). A Venezuela ocupa a segunda posição, com 19 medalhas de ouro, seguida por Argentina, com 18, e Colômbia, com 16. O Chile, anfitrião desta edição dos Jogos, está na quinta posição, com 11 medalhas de ouro conquistadas.