Publicado em: quarta-feira, 01/05/2013

Motivos de renúncias de Havelange, Teixeira e Leoz seria Relatório que aponta propina paga por ISL

Motivos de renúncias de Havelange, Teixeira e Leoz seria Relatório que aponta propina paga por ISLO brasileiro João Havelange não é mais o presidente honorário da Federação Internacional de Futebol (FIFA). O cartola entregou a carta contendo sua renúncia para o cargo em 18 de abril, porém a entidade máxima do futebol só fez o anúncio na manhã desta terça-feira (30).

Esta saída tem o ponto de vista estratégico, pois o relatório do Comitê de Ética da FIFA, que foi divulgado durante esta terça-feira, comprovou que tanto Havelange, como Ricardo Teixeira e Nicolás Leoz ganharam propinas com relação a venda dos direitos de transmissão das Copa de 2002 e de 2006. Com esta renúncia, Havelange vai evitar ser expulso da entidade máxima do futebol mundial, por este mesmo motivo, ele também já tinha deixado o Comitê Olímpico Internacional (COI).

O brasileiro Ricardo Teixeira, que já havia deixado a FIFA e CBF logo no início de 2012, e o paraguaio Nicolás Leoz renunciou ao cargo de vice-presidente da FIFA e à presidência da Conmebol durante a última semana, também conseguiram escapar de punições.

Estes três cartolas ganharam milhões de dólares apenas em propinas do ano de 1992 até 2000 da empresa ISL devido a negociação de direitos de transmissão das Copas de 2002 e 2006. O relatório não aponta os valores que eles teriam recebido, porém uma denúncia da BBC afirma que Havelange e Teixeira chegaram a embolsara aproximadamente R$ 45 milhões.

Quem fica livra de denúncias é o suíço Joseph Blatter, que é o atual presidente da FIFA, pois segundo aponta o relatório não existem indicações de que Blatter possa ter recebido alguma comissão da ISL, além de não haver indicações claras de que Blatter possa ter envolvimento com os pagamentos tanto para Havelange, quanto Teixeira ou Leoz.