Publicado em: segunda-feira, 26/09/2011

Morre a queniana Wangari Maathai, Nobel da Paz 2004

Vítima de um câncer, a queniana de 71 anos, Wangari Maathai faleceu nesse domingo, dia 25 de setembro. Ela ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2004 por causa do trabalho que realizava no Movimento Greenbelt (Cinturão Verde). Wangari foi a primeira africana a receber o Nobel.

O movimento, fundado em 1977, tinha como principal projeto a plantação de árvores na região africana. Buscar gerar a biodiversidade e promover mais empregos para as mulheres. E desde sua criação, o Movimento Greenbelt plantou aproximadamente 40 milhões de árvores. Em anuncio feito na página de internet, a organização divulga o falecimento de Wangari após uma longa batalha contra o câncer.

Wangari Maathai liderou a Cruz Vermelha, nos anos 70, e foi a primeira mulher na África a terminar um doutorado. Além disso, a queniana foi secretária Estado para o Meio Ambiente nos anos entre 2003 e 2005. Foi presa três vezes por militar contra a repressão policial e a corrupção, defendendo o meio ambiente em seu país.

Ela contou, em sua autobiografia “Com a cabeça bem alta”, lançada em 2006, como as causas climáticas degradaram o meio ambiente na região do monte Quênia. Wangari Maathai possuía três filhos, Muta, Waweru e Wanjira, e mais uma neta, Ruth.