Publicado em: quarta-feira, 12/03/2014

Minuto de celular pré-pago pode ser 130% mais caro que pós, diz estudo

Minuto de celular pré-pago pode ser 130% mais caro que pós, diz estudoEngana-se quem acredita que utilizar um aparelho pré-pago pode ser mais barato. De acordo com o levantamento do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o celular pós-pago pode valer a pena em alguns casos. Ainda segundo a pesquisa, os valores da tarifa podem sair até 130% mais caros que os celulares em conta. Isto porque as linhas pré-pagas são utilizadas por 78% dos brasileiros.

Realizada entre os meses de janeiro e fevereiro, a pesquisa considerou inúmeros critérios, tal como os serviços e histórico de chamadas de cada usuário. O Idec realizou a pesquisa em uma ação que visava comemorar o dia do consumidor, ocorrido em 15 de março.

Os valores dos pacotes e as informações de cada operadora foram comparados com os preços das linhas pós-pagas.

Planos

A Claro foi uma das operadoras estudadas. O plano mais barato da modalidade pré-pago o “Claro Toda Hora”, cujo valor é de R$ 1,60 por minuto. Levando em consideração que a mensalidade seja de 89 reais, o Idec deduziu que o valor por minuto do minuto no plano pós-pago custe R$ 0,67, aproximadamente 130% a menos que o valor do pré-pago.

A segunda operadora analisada foi a Vivo e o minuto no plano pré-pago é de R$ 1,55, no caso do plano mais barato, cujo valor é de R$ 51, estima-se que o minuto do pós-pago deva custar quase 60% mais barato que o pré (R$ 0,98).

Na TIM, a diferença é de 55,8%, o valor do pacote pós-pago é de R$ 49 mensais, e o minuto do pós-pago é R$ 1,02 e o pré-pago de R$ 1,59.

Com o objetivo de facilitar a vida do consumidor, a Anatel determinou que as operadoras estabeleçam um prazo mínimo de validade dos créditos de 30 dias, modalidade que então havia sido realizada por praticamente todas as empresas de telefonia móvel.