Publicado em: quinta-feira, 17/11/2011

Ministro russo afirma que ataque de desertores na Síria parece “guerra civil”

O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, declarou nesta quinta-feira (17) que o ataque realizado por desertores do Exército da Síria contra um complexo de inteligência para uma “guerra civil”. A afirmação dá continuidade à tentativa da Rússia de conseguir dar início a negociações entre a Síria e seus opositores. A Liga Árabe e a Turquia se manifestaram contra a Síria com a divulgação de uma nota oficial que dá o prazo de três dias para o governo cessar as medidas de violência na repressão contra civis.

Após um encontro com o ministro de Relações Exteriores da índia, S.M. Krishna, em Moscou, Lavrov afirmou “assistimos às notícias na televisão indicando que uma nova força, o chamado Exército Livre da Síria, organizou um ataque contra um prédio do governo pertencente às Forças Armadas sírias. Isso já é completamente parecido a uma verdadeira guerra civil”. O ministro também destacou que a violência deve ser combatida independente da sua origem, pois não é só a estrutura governamental que está atacando.

A divulgação do ataque do Exército Livre fez com que Alemanha, Reino Unido e França pressionassem a Organização das Nações Unidas (ONU) a determinar uma resolução que condene as violações aos direitos humanos no país.

O comunicado da Liga Árabe e da Turquia foi divulgado horas depois do anúncio do ataque contra o complexo de inteligência da Síria. O grupo defende que, caso a Síria não adote as medidas impostas para acabar com a violência, a conseqüência será o isolamento do país, inclusive com medidas econômicas.