Publicado em: quinta-feira, 04/08/2011

Ministro japonês informa que vai substituir três funcionários do programa nuclear

Com cinco meses completos desde o acidente nuclear em Fukushima, o ministro da Indústria e Comércio do país, Banri Kaieda, do Japão anunciou que vai substituir três profissionais dessa área. O acidente foi causado por um desastre natural originado por um terremoto, o qual deu sequência a um tsunami. Os estragos causados pela destruição das usinas nucleares fez com que o acidente fosse considerado o pior nos últimos 25 anos. Mesmo com a data do acidente em março, ainda existem vazamentos na região de Fukushima.

De acordo com as informações divulgadas, os funcionários de alto-escalão que vão ser demitidos são o chefe da Agência de Segurança Nuclear, Nobuaki Terasaka, o chefe da Agência de Recursos Naturais e Energia, Tetsuhiro Hosono, e o vice-ministro das Finanças, Indústria e Comércio, Zazuo Matsunaga. A demissão dos três está diretamente relacionada com as consequências do acidente nuclear, sendo que todos vão responder por má administração.

Ao mesmo tempo, o próprio ministro Kaieda afirmou que vai renunciar do seu cargo para também demonstrar que assume as responsabilidades dos fatos que aconteceram durante a sua gestão no comando desse departamento. Além disso, o Japão decidiu anunciar até a próxima sexta-feira a formação de uma nova agência responsável por regular o seu programa nuclear.

Um dos pontos principais que vai ser exigido por essa nova agência reguladora é com relação ao aumento das exigências nos padrões de segurança das usinas atômicas. Além disso, a agência também terá a função de impor custos mais elevados às usinas. Uma das maiores críticas à agência atual desse setor no Japão é por as usinas estarem em posições confortáveis até o acidente.