Publicado em: quinta-feira, 18/08/2011

Ministro do Turismo, Wagner Rossi, entrega carta de demissão à Dilma Housseff

O ministro do Turismo, Wagner Rossi (PMDB), entregou no início da noite desta quarta-feira (17) a sua carta de demissão à presidente Dilma Housseff (PT). Rossi decidiu deixar a pasta após as constantes acusações de corrupção no Ministério, sendo que a última, divulgada nesta terça-feira (16), confirmou que o ministro viajou em um jatinho de uma empresa agropecuária que já foi favorecida pelo Ministério. Antes de se demitir formalmente, Rossi se encontrou com o vice-presidente, Michel Temer (PMDB), para informá-lo pessoalmente.

De acordo com a carta de demissão, que foi publicada no site do Ministério, Rossi agradeceu a confiança que recebeu da presidente e declarou que as denúncias contra a sua atuação no Ministério são mentiras. Além disso, Rossi escreveu sua família e seus amigos foram envolvidos no caso, e estes representam o limite do que ele poderia aguentar. De acordo com fontes ligadas ao Planalto, Rossi teria explicado a Temer que estava evitando maior desgaste do governo e da sua pessoa.

Com relação à sua família, Rossi estaria sendo pressionado para que deixasse o cargo. Ao receber a notícia, Temer pediu para que o companheiro da sigla reconsiderasse a decisão. Mas, conforme foi comprovado posteriormente, Rossi negou o pedido do vice-presidente.

No texto publicado no site do Ministério, Rossi soltou que “sei de onde partiu a campanha contra mim. Só um político brasileiro tem capacidade de pautar ‘Veja’ e ‘Folha’ e de acumular tantas maldades fazendo com que reiterem e requentem mentiras e matérias que não se sustentam por tantos dias.” Porém, o ministro não citou nomes de quem poderia estar envolvido nessa campanha.