Publicado em: quarta-feira, 18/07/2012

Ministro diz que não é possível melhorar proposta de reajuste aos professores

Aloizio Mercadante, ministro da Educação, anunciou ontem, dia 17 de julho, que não é possível aumentar mais o salário dos professores. Segundo ele não há margem orçamentária para isso. A proposta do governo foi apresentada na última semana logo após uma reunião com os reitores das universidades federais. Os professores de universidades e institutos federais estão parados há cerca de dois meses. Depois que o governo apresentou a proposta, esta foi avaliada pela categoria como insatisfatória. Segundo o ministro, é preciso levar em consideração o cenário externo, que é de crise internacional e também da necessidade de investir em outros setores. Segundo Mercadante, a proposta do governo é de investimento de R$ 4 bilhões para os próximos dois anos. Ele disse ainda que o objetivo do governo é manter a capacidade fiscal, o emprego e a estabilidade. O ministro falou que também há outras categorias que pedem aumento e que os professores foram os primeiros a receber a proposta do governo para o novo plano de carreira. Na reunião com os reitores, estes pediram ao governo que fosse feita uma negociação também com técnicos-administrativos que estão em greve. O ministro ressaltou que assim que for resolvida essa situação com os professores, o governo vai se dedicar na busca por uma solução com os técnicos-admnistrativos.

Proposta do governo valoriza professores com doutorado e dedicação exclusiva

Sobre a proposta dada os professores, o ministro falou que o governo ela está valorizando doutores que tenham dedicação exclusiva. Os dados do governo mostram que 87% dos docentes já possuem dedicação exclusiva e mais de 65% possuem título de doutor. Segundo Mercadante, a proposta tem por objetivo fortalecer essa parcela de professores que tem um compromisso maior com a universidade.