Publicado em: sexta-feira, 11/11/2011

Ministro diz que câncer de lula amplia o debate sobre o atendimento do SUS

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse nesta quinta-feira que o câncer do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ampliar o debate sobre o atendimento e o tratamento que está disponível no Sistema Único e Saúde (SUS) e também sobre o tratamento em hospitais particulares.

“É muito comum as pessoas pagarem plano de saúde ao longo da sua vida e, na hora do tratamento de câncer, sabe quem salva essas pessoas? É o Sistema Único de Saúde. Porque há muitos planos de saúde que não arcam com tratamento mais caro, como câncer”, comentou o ministro no seu programa semanal “Bom Dia Ministro”.

Após a confirmação que Lula havia sido diagnosticado com um tumor localizado na laringe, Lula começou o tratamento de forma imediata no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Esta atitude foi arduamente criticada nas redes rociais, através de comentários sugerindo que ele realizasse o seu atendimento no SUS.

Padilha ainda afirmou que qualquer pessoa que pague por mais de trinta anos um plano de saúde participar possui o direito de ter o melhor tratamento disponível que o plano pode oferecer. Sobre as críticas, o ministro ainda defendeu o SUS ao argumentar que o sistema público é responsável pelo tratamento de 80% de casos diagnosticados do câncer. Para ele, o problema de Lula deve “ajudar com que a gente acabe com o preconceito e estigma sobre o câncer, vai ajudar as pessoas a terem mais coragem de fazer o diagnóstico precoce”.