Publicado em: terça-feira, 25/10/2011

Ministro das Comunicações afirma que internet do Brasil não está tão defasada

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou em entrevista ao G1 que a internet do Brasil não está “tão defasada” em comparação ao que se vê no exterior. O ministro levou em consideração o custo e a qualidade do serviço e, de acordo com ele, a perspectiva é que a qualidade e a velocidade da internet nacional fiquem iguais às dos países desenvolvidos até 2014.

De acordo com Paulo Bernardo, “a Itália e a França licitaram celular de quarta geração agora, setembro, outubro. Nós vamos fazer [a licitação] em abril do ano que vem. A tendência é que até 2014 nós vamos estar equiparados com esses países [na qualidade e velocidade da internet]. As pessoas têm direito de reclamar e nós temos que cobrar cada vez mais. Agora, eu não acho que nós estejamos tão defasados em relação aos outros lugares”. O ministro reconhece que o serviço brasileiro não é dos melhores, mas ainda acredita que não esteja tão atrás dos outros.

O ministro também destaca o plano de metas de qualidade, atualmente em discussão na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que deve obrigar as empresas operadoras a cumprirem com determinada meta de cumprimento da velocidade contratada. Atualmente não há nada que determine quanto deve ser garantido, sendo que algumas operadoras oferecem somente 10% da velocidade paga pelos clientes.

Paulo Bernardo também acredita que a expansão do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) vai ajudar no desenvolvimento da internet brasileira. A internet do PNBL começou a ser oferecida em 1 de outubro para 344 municípios.