Publicado em: quarta-feira, 05/10/2011

Ministro da Educação defende diminuição de conteúdo para ensino médio

Durante uma audiência realizada pela Comissão de Educação, Cultura, s Esporte do Senado, em Brasília nesta terça-feira (5), o ministro da Educação, Fernando Haddad defendeu que os estudantes do ensino médio tenham uma diminuição da carga de conteúdos.

“Temos de caminhar na direção de um currículo mais sensato e menos sobrecarregado”, explicou. A defesa do ministro é baseada a partir dos índices observados nos últimos anos, principalmente pelos avanços baixos que o ensono médios tem realizado em comparação com os alunos matriculados no ensino fundamental.

Haddad ainda comentou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não é parâmetro para ser feita a avaliação da qualidade das escolas brasileiras. Na sua opinião, o formato do Enem é mais leve do que os formatos tradicionais de um concurso vestibulares, porém, continua sendo mais extenso que o que deveria constar no currículo do ensino médio.

Em sua avaliação, a comparação a partir dos resultados do exame é “injusta”, já que existem diversos índices e critérios que não são considerados na divulgação nas notas. Ele exemplificou ao falar que o investimento que as escolas da rede de ensino particular ;e três vezes maior do que o investimento por aluno do que na escola da rede pública. Para Haddad, o Índice de Desenvolvimento da educação Básica (Ideb) continua sendo o melhor métodos para realizar a avaliação dos estudantes da qualidade de ensino médio no país.