Publicado em: quinta-feira, 24/05/2012

Ministra Cármen Lúcia é a primeira a divulgar salário na internet

Cármen Lúcia Antunes Rocha, ministra que atua no Supremo Tribunal Federal (STF) e é que também ocupa o cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi a primeira da categoria a divulgar seu contracheques nesta quarta-feira. A ministra tomou essa decisão depois de o STF ter decidido que os salários dos ministros e funcionários serão publicados em site oficial. Depois da decisão que ocorreu na terça-feira, a ministra disponibilizou cópia de seu contra-cheque no site do TSE. Segundo os dados, a ministra recebe R$ 26.723,13 do Supremo e mais R$ 6.413,52 pelo trabalho no tribunal eleitoral.

Segundo a ministra o público tem o direito de saber o salário dos ministros e por isso está cumprindo a Lei de Acesso a Informações Públicas. Esses valores pagos têm desconto de plano de saúde (R$ 122,14) e também do Imposto de Renda. No total, o salário líquido recebido é de R$ 23.283,82 pela ministra. A proposta é que seja colocado o valor do salário e o nome dos funcionários, mas essa formatação será discutida em uma sessão administrativa, segundo o tribunal.

Funcionários acham que divulgar o nome pode ser um risco às pessoas

A decisão de divulgar a folha de pagamento da Corte foi aprovada nesta última terça-feira pelo próprio STF. Os funcionários queriam a preservação das identidades, mas esse pedido não foi aceito. Há ainda resistência por parte de alguns funcionários, no Judiciário e de algumas associações de magistrados. Eles argumentam que colocar o nome pode ser um risco para as pessoas. Nelson Calandra, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), argumenta que divulgar o nome é quase a mesma coisa que dar o endereço e o telefone, já que com as redes sociais as pessoas são facilmente encontradas.