Publicado em: segunda-feira, 23/07/2012

Ministério público denuncia policiais de receberem propina para liberar shopping em SP

Em informações divulgadas pelo jornal O Estado de São Paulo, diversos agentes públicos e funcionários de alto escalão da prefeitura foram acusados de participar de um esquema de pagamento de propina para que, só então, liberassem obras irregulares de shoppings em São Paulo. Entre os acusados estão agentes do DER (Departamento de Estradas e Rodagem), bombeiros e policiais. Vários depoimentos foram prestados ao Ministério Público Estadual, e os agentes são suspeitos de acusações de recebimento de dinheiro em troca da liberação de execuções de projetos de ampliação, no manejo do tráfego e da área verde e para encobrir diversas falhas na segurança.

O ex diteror do setor de aprovaçõesda prefeitura, Hussain Aref Saab, foi acusado, por uma testemunha que o investigou durante meses, de adquirir 125 imóveis em sete anos. Segundo informações, ele ajudado e facilitado a aprovação do laudo de vistoria da ampliação do Shopping Pátio Higienópolis, em 2009. Acusado na mesma obra, o agente da polícia ambiental, conhecido com Hanz, recebeu R$ 70 mil para não avaliar corretamente os danos ambientais que a obra causaria.

Até o secretário municipal, Eduardo Jorge (PV), do Verde e o Meio Ambiente foi acusado de integrar o esquema. Segundo os depoimentos, ele teria recebido R$ 200 mil parafazer vista grossa ás diversas falhas encontradas no shopping. Como todos os acusados acima, ele também nega que esteja envolvido no caso. A Polícia Militar garantiu que irá apurar os fatos ocorridos e investigar a fundo se há e quais são os envolvidos. Os proprietários do shopping disseram que não tem conhecimento de pagamentos indevidos e que fazem tudo dentro das normas éticase legais.