Publicado em: terça-feira, 05/08/2014

Ministério Público afirma que o risco de ebola se propagar para o Brasil é muito baixo

Ministério Público afirma que o risco de ebola se propagar para o Brasil é muito baixoNa última sexta-feira (1º), uma nota divulgada pelo Ministério público informou que o risco de propagação do ebola no Brasil é considerado quase nulo, o órgão também afirmou que não houve nenhum caso suspeito ou que tenha sido confirmado da doença no país. Até agora, a infecção que é classificada como altamente letal, levou 729 pessoas a óbito desde fevereiro, segundo um levantamento que foi divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na última quinta-feira (31).

Conforme está descrito na nota, o ebola é transmitido pelo contato direto com o sangue, secreções, órgãos e outros fluidos corporais de pessoas ou animais que estão infectados, a transmissão para outros continentes é apontado como pouco provável de acontecer. Todos os casos de infecções que aconteceram, estão localizados na região da República de Guiné, em Serra Leoa e também na Libéria. A Nigéria registrou apenas um caso. Segundo informações da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, se caso um passageiro que estiver viajando para o Brasil, vindo de um dos países citados e demonstrar sintomas da infecção durante o voo, a tripulação precisará informar ao aeroporto de destino, para que assim que desembarcar, uma equipe de vigilância sanitária esteja o esperando para avaliar e verificar se há alguma medida a ser tomada.

Plano específico para a infecção

Além disso, a assessoria também ressalta que ainda não foi criado um plano de ação específico para casos de ebola, contudo, se for constatado algum indício da infecção no país, o governo irá buscar auxilio do Plano de Resposta às Emergências em Saúde Pública, que é responsável por tomar as medidas a serem tomadas em situações emergenciais de epidemias e desastres. A OMS ainda não estabeleceu algum tipo de restrição a voos e também não informou se irá orientar que as fronteiras se fechem por conta da epidemia.