Publicado em: sexta-feira, 07/10/2011

Ministério da Saúde vai inerir R$ 550 milhões em cirurgia eletivas

O Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (6) que irá investir R$ 550 milhões em todos os estados do país e o Distrito Federal para conseguir elevar o número das cirurgias eletivas que acontecem no Brasil. As cirurgias eletivas compreender cirurgias não emergenciais, como retiradas de amigdalas, tratamento de varizes, entre outros. O projeto irá beneficiar 2.555 cidades que terão os recursos aplicados a partir da necessidade e do atendimento feito na região.

“Nós distribuímos recursos pelo Brasil inteiro, pelo tamanho da população de cada município. Um município sozinho não faz a cirurgia, não tem o hospital para fazer. Então ele se junta em vários municípios ou o estado organiza isso”, disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O ministro explicou que os estados ou municípios que apresentarem o projeto para a nova cadeia de cirurgias eletivas ao Ministério deve receber o novo recurso. “Nós vamos passar 40% dos recursos antecipados. Vamos monitorar as cirurgias, saber quantas estão sendo feitas em cada um dos municípios. Aqueles Estados que garantirem o atendimento rápido à população vão receber mais recursos para poderem fazer mais cirurgias”, explicou Padilha.

De acordo com o Ministérios, a maior parte do recurso, cerca de R$ 350 milhões, serão repassados as cirurgias consideradas prioritárias. Dessa forma, os procedimentos para o tratamento de cataratas devem receber R$ 200 milhos e as cirurgias ortopédicas, de vasos, oftalmologia e otorrinolaringologia recebem E$ 150 milhões. Os munícipios que tiverem 10% ou mais da população vivendo em situação de pobreza extrema recebem R$ 50 milhões extras.