Publicado em: quarta-feira, 04/07/2012

Mergulhadores morrem em gruta submarina na Itália

Três homens e uma mulher que estavam realizando mergulho na caverna submarina chamada de Gruta do Sangue e localizada no Cabo Palinuro, na Província de Salerno, no sul da Itália, morreram no último sábado, 30 de junho. O local onde aconteceu o acidente é considerado como uma das grutas mais bonitas da Itália.

De acordo com as investigações feitas pelas autoridades do local, quando os mergulhadores passaram pela gruta, fizeram com que uma nuvem de areia ou lama fosse dispersada. Por conta disso, a água ficou turva e assim diminuiu a visibilidade dos mergulhadores, que não conseguiram ver onde estavam os seus companheiros, nem onde estava a rota de saída da gruta.

Outra causa de morte que foi levantada pela investigação é uma possível queda de uma das paredes da gruta, que poderia ter bloqueado a passagem dos mergulhadores. No entanto, segundo as outras pessoas que mergulharam com as vítimas e que conseguiram se salvar, a causa das mortes certamente foi a perda de orientação dentro da gruta.

Todos eles viviam na Itália. O acidente fez as seguintes vítimas: Andrea Petroni e Douglas Rizzo, que era o chefe do grupo, os dois com 41 anos de idade e naturais de Roma; Susy Cavaccini, de 36 anos, de Salerno; e Panaghiotis Telios, de 23 anos, da Grécia, mas que vivia na Calábria.

De acordo com os depoimentos das outras pessoas que participaram do mergulho, a visibilidade no local é precária e existem muitas ravinas, que são depressões que são provocadas pela erosão da água. Eles acreditam que os mergulhadores possam ter ficado presos em uma dessas depressões depois que perderam a visibilidade.

Os mergulhadores sobreviventes, em estado de choque por conta da tragédia, contaram que perceberam o perigo quando viram a nuvem de areia se aproximando e por conta disso voltaram rapidamente para a superfície, onde pediram ajuda para o resgate dos que não tinham conseguido retornar. Porém, o resgate não teve sucesso e os corpos dos mergulhadores foram retirados da gruta algumas horas depois que o mergulho começou.