Publicado em: terça-feira, 11/03/2014

Mercado financeiro reduz previsão de crescimento e sobe a de inflação

Mercado financeiro reduz previsão de crescimento e sobe a de inflaçãoEconomistas brasileiros não estão confiantes quanto ao crescimento do PIB brasileiro no ano de 2014. De acordo com um relatório divulgado pelo Banco Central na manhã desta segunda-feira (10), a economia brasileira crescerá, mas será um valor abaixo do esperado. O crescimento do PIB nacional teve a meta reduzida e a inflação aumentada para este ano.

Quanto ao crescimento do Produto Interno Bruto brasileiro, os economistas afirmam que a economia crescerá 1,68% e não 1,7% conforme o previsto na semana passada. No entanto, os números são preocupantes, uma vez que os números não representam nem ao menos a metade do esperado para o ano (3,8%). Já em 2015, a estimativa é de que a economia brasileira deva crescer 2%.

Vale lembrar que o PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos dentro do Brasil, independente da nacionalidade das empresas produtoras.

No caso da inflação deste ano, os economistas acreditam que os valores deverá ser de 0,1% acima do previsto, até então, a estimativa era de que a inflação anual seria de 6%, mas passou para 6,1%. Em comparação com o ano passado, os indicadores inflacionários eram de 5,91% . No entanto, a estimativa para o próximo ano é de que a inflação atinja a estabilidade e não passe de 5,70%.

A partir destes valores, o Banco Central deverá fazer algumas medidas para que as metas anuais sejam atingidas. O Governo Federal espera que a inflação deva ficar abaixo de 4,5%. Entretanto, a margem de tolerância é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, ou seja, poderá ser de 2,5% e 6,5%, números só preocuparão governo se estiverem foram desta meta.

No caso da taxa Selic, os analistas reduziram a expectativa de 11,13% para 11%.