Publicado em: quarta-feira, 11/04/2012

Mercado de software brasileiro cresce 12,4% e ocupa 10ª posição no ranking internacional

Em 2011, o mercado de software obteve um faturamento de US$ 21,4 bilhões. Com esse aumento significativo, o país passou a ocupar a 10ª posição no ranking internacional do mercado de softwares. Esse crescimento é acima da média para o ano de 2011 de acordo com informações fornecidas pela Associação Brasileira de Empresas de Software. O aumento foi de 12,4% em relação à produção de 2010. Antes o país ocupava a 11ª colocação no ranking, mas agora subiu uma posição e está em 10ª lugar.

O mercado brasileiro desse setor representa 50% da movimentação na América Latina. Além disso, desde o início do século XXI vem crescendo acima da economia chinesa. A ABES já estima que até 2020 o Brasil deva melhorar a posição no ranking, ficando apenas atrás dos EUA, Japão, Reino Unido, Alemanha e China.

No entanto a ABES avalia que há um problema interno em que as políticas setoriais possuem um modelo baseado em serviço sob encomenda. Isso faz com que a balança comercial fique sempre mais negativa para o mercado interno. Segundo Gérson Schmitt, presidente da ABES, embora a demanda esteja aquecida nos últimos anos, o setor ainda é frágil, pois é formado por pequenas empresas e nas poucas grandes companhias há intervenção de capital internacional.

Segundo Schimitt, o setor tem apresentado uma necessidade maior de técnicos especializados, sendo que o mesmo trabalho poderia ser feito com software, melhorando a produtividade. Esse processo seria essencial para diminuir o déficit de mão de obra na área e aumentar o potencial do país no setor. Estima-se que o mercado nacional de Tecnologia da Informação e Comunicações poderá ultrapassar os 190 bilhões de dólares em 2011. Em 2010 esse número foi de 165 bilhões de dólares registrados em 2010. O valor correto deve ser divulgado em breve, pois o relatório está em fase final.