Publicado em: sexta-feira, 22/06/2012

Mercado de orgânicos cresce, mas ainda enfrenta barreiras, dizem produtores

Segundo a avaliação de produtores orgânicos presentes na conferência Green Rioio+20, o mercado de produtos orgânicos está em expansão no Brasil. No entanto o maior problema é chegar aos consumidores. Segundo Romina Lindemann, produtora rural que fabrica produtos a partir do nem, no norte do Pará, falta assistência para entrega dos produtos aos consumidores, por exemplo. A produtora explicou que na Índia os produtos feitos do nem possuem várias funções e que seu objetivo é difundir a erva pelo Brasil. No entanto, ela diz que tem enfrentado problemas de logística, pois enquanto as empresas químicas possuem viajantes que distribuem o produto pelo país, seus produtos não tem a possibilidade de sair da região onde são feitos. Ela disse que os naturais custam até mais barato, mas não tem assistência para divulgação. Lindemann ressaltou que o governo até possui algumas ações, mas isso ainda é muito limitado.

Logística é um dos principais problemas enfrentado pelos produtores

O mesmo problema é ressaltado por outra produtora orgânica. Rosangela Cabral é de Porta Alegre e mantém a Secale Pães Orgânicos, no entanto diz que a maior dificuldade que tem encontrado é para distribuir seus produtos nos mercados e feiras que ficam distantes de sua padaria. Segundo ela, o negócio está crescendo, mas ainda é preciso resolver o problema da logística, pois o volume de entregas não é grande como de uma indústria e o frete custa caro. Segundo ela há seis anos a fabrica produzia 500 pães por mês e hoje já chega a 15 mil.

Produto orgânico sempre será mais caro pela sua lógica de produção, diz agricultor

Segundo, Dick Thompson, produtor orgânico da região de Itaipava, em Petrópolis (RJ), não é possível comprar o preço dos produtos orgânicos com aqueles que utilizam algum tipo de química. Ele diz que a lógica de produção dos orgânicos é mais demorada do que dos produtos normais e isso faz com que os primeiros tenham um preço de 20% a 30% mais elevado. Para diminuir essa diferença e equilibrar os preços, Laudemir Müller, secretário nacional de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), diz que o governo tem um papel importante no desenvolvimento da agricultura familiar e orgânica. Segundo dados do Ministério, atualmente o país tem 90 mil famílias que se dedicam à agricultura orgânica e o objetivo é aumentar esse número, além de oferecer crédito e políticas específicas.