Publicado em: quinta-feira, 27/09/2012

Mensalão – Revisor vota por condenação de Roberto Jefferson

Mensalão – Revisor vota por condenação de Roberto JeffersonO ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que é o revisor do atual e famoso processo do mensalão, optou ontem (26) no julgamento da ação penal 470, conhecida popularmente como mensalão, por condenar Roberto Jefferson (PTB-RJ) pelo crime de corrupção passiva. Referente á lavagem de dinheiro, Roberto já foi absolvido pelo magistrado. O acusado foi o delator do suposto esquema de pagamento de propina á parlamentares.

No atual item que está sendo analisado agora na denúncia, o de número 6, o revisor apresentou seu voto sobre Jefferson, que na época era o presidente do PTB, sobre o ex-deputado federal Romeu Queiroz (PTB-MG) e votou também fazendo referência ao ex-tesoureiro do partido Emerson Eloy Palmieri.

Procuradoria declarou que no ano de 2004 teria ficado acertado que o repasse seria de aproximadamente R$ 20 milhões do PT para o PTB seria em troca do apoio dos parlamentares. Jefferson, que contou publicamente como funcionava o esquema no ano de 2005, em uma entrevista concedida para o jornal “Folha de S.Paulo”, garantiu recebeu cerca de R$ 4 milhões.

O magistrado declarou que “José Carlos Martinez (que já faleceu), que era o presidente do partido na época, contou que teria combinado com o PT um valor de repasse que R$20 milhões e que nos últimos depoimentos de Jefferson, ele fala sobre o dinheiro que seria repassado de maneira legal mediante recibo. O correto seria dizer que tal declaração que foi feita em juízo mostra que havia um acordo de fato”, declarou o ministro. O revisor completou dizendo que “Delúbio Soares, mesmo negando todos os fatos, já teria confirmado no seu interrogatório, tudo o que aconteceu”. Lewandowski ainda utilizou trechos do depoimento feito por Jefferson aonde ele confirma o referido acordo com o PT. O ex-deputado afirmou que o total de valores desse acordo entre os partidos em questão chegou a R$ 20 milhões, porém apenas R$ 4,5 milhões teriam sido repassados para o partido PTB. “O importante é lembrar que Roberto Jefferson não negou que teria recebido, em vias de fato, quase R$ 4 milhões em dinheiro.”

No entendimento de Lewandowski, “o tal acordo [financeiro] que ocorria entre os partidos foi comprovadamente crime pactuado verbalmente” e “valeu-se para receber de mecanismos escusos”.