Publicado em: quinta-feira, 04/10/2012

Mensalão – Relator condena Dirceu e mais 7 por corrupção ativa

Mensalão – Relator condena Dirceu e mais 7 por corrupção ativaDepois do voto do relator Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal (STF), hoje (4) quem vota é o ministro-relator, Ricardo Lewandowski, que vai avaliar o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. Ele foi acusado do crime de corrupção ativa no processo do mensalão. Logo depois o restante dos ministros do Supremo devem votar julgando Dirceu além de outros nove réus desta fatia do processo.

Ontem (3), o relator optou pela condenação de Dirceu e de mais sete réus pelo crime de corrupção ativa relacionado aos parlamentares que integravam a base aliada no primeiro mandato de Lula, que se deu entre os anos de 2003 a 2006. Barbosa condenou, além de Dirceu, de Delúbio Soares, que era o tesoureiro do partido na época da denúncia, e José Genoino, que é ex-presidente do partido. Dos envolvidos diretamente com as empresas de publicidade que organizavam o “valerioduto”, foram condenados o proprietário majoritário Marcos Valério, que foi considerado como o operador do mensalão, além de seus ex-sócios, Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, e Rogério Tolentino, que era advogado do publicitário, também a ex-funcionária da agência SMP&B, Simone Vasconcellos.

Porém, Barbosa optou por pedir pela absolvição de Geiza Dias, que também é ex-funcionária da SMP&B, como também optou por absolver o ex-ministro dos Transportes que é o atual prefeito de Uberaba, Anderson Adauto. Os réus que estão ligados á Valério já foram condenados nas outras fases (ou fatias) do julgamento, pelos crimes de peculato, por corrupção ativa e também por lavagem de dinheiro.

Na apresentação do voto sobre Dirceu, Barbosa afirmou que decidiu condená-lo porque ele tinha o papel central no pagamento de propinas. Para o relator “todas as provas colocam o ministro em uma posição central, ou seja, como mandante dos pagamentos que eram indevidos para os parlamentares”.

O revisor do processo, o ministro Lewandowski, decidiu seguir o voto do relator e também condenou Delúbio Soares, Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz e Vasconcelos. O revisor, todavia, decidiu absolver, além de Geiza e Adauto, Rogério Tolentino e José Genoino.