Publicado em: quinta-feira, 24/07/2014

Menina Sofia faz sete meses e aguarda resultados de exames para determinar seu lugar na fila de transplante nos Estados Unidos

Menina Sofia faz sete meses e aguarda resultados de exames para determinar seu lugar na fila de transplante nos Estados UnidosA menina Sofia está à espera de seu transplante, nesta quinta-feira, a pequena completa sete meses, e só aguarda o resultado de exames realizados que irão determinar qual a posição que a menina ficará na fila de Transplante.

Sofia é portadora da Síndrome de Berdon que é considerada rara, a menina precisará passar por transplante de seis órgão, a cirurgia da bebê será realizada no Hospital Jackson Memoria, que fica em Miami.

Sofia está com seus pais nos Estados Unidos desde o dia 3 de Julho e desde então a menina passa por exames para determinar quais os próximos passos a serem tomados, de acordo com o médico brasileiro, responsável por dirigir a ala de transplantes do hospital, diz que Sofia passou por vários exames e que alguns deles já estão prontos, mas de acordo com o médico, como se trata de uma avaliação complexa, não se pode afirmar que a menina tem seus exames dentro daquilo que é esperado pela equipe.

Com o fim da realização de todos os exames necessários para o transplante, será definida a posição em que a bebê irá ocupar na fila de transplante, o tempo de espera pode se estender a até dois anos, segundo o médico Rodrigo Vianna, que já tem em seu currículo mais de 250 transplantes como este, em se tratando de casos rápidos, podem ser solucionados em até seis meses, o que irá determinar o tempo de espera da pequena Sofia é seu estado geral, se for constatado que o caso é grave a criança tem prioridade para realização da cirurgia.

Nos Estados Unidos os pacientes que necessitam de um transplante, fazem todos os exames e após avaliações realizadas, caso seja constatado que estes estão em estado grave eles entram para o início da lista, pela gravidade do estado de saúde, lá quanto mais grave o caso do paciente, mais rápido se realiza o transplante, o que complica no caso da pequena Sofia, segundo Rodrigo, é o fato de ela só poder receber os órgãos de crianças que tenham a mesma idade que ela, isso, de acordo com o médico, torna cada vez mais restrito o número de possíveis doadores.

Para que o transplante seja bem sucedido a criança não pode apresentar qualquer tipo de problema nos órgãos que compõe o sistema digestório, outro fato que pode fazer com que Sofia espere mais pela realização do transplante, é o fato de apresentar melhoras em seu estado de saúde, de acordo com o médico, ao chega nos Estados Unidos, Sofia passou por uma cirurgia, onde os médicos sanaram um problema de sopro no coração, logo após os médicos liberaram Sofia para passear nos jardins do hospital com seus pais.

Segundo Rodrigo em casos como o da pequena Sofia o melhor é que o paciente apresente estado de saúde grave, já que dessa maneira o acesso a possíveis órgãos de doadores é mais rápido, mas a pequena apresentou uma melhora em seu estado geral de saúde desde que chegou aos Estados Unidos, sendo assim, de acordo com Rodrigo a espera para realização do transplante pode ser um pouco maior.