Publicado em: quarta-feira, 09/11/2011

“Melhor em Casa” prevê assistência médica em domicílios

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (8) o programa “Melhor em Casa” que irá dar assistência médica na casa de todos os pacientes que precisam de tratamento permanente do Sistema Única de Saúde (SUS). Este serviço já é oferecido em alguns municípios brasileiros e permite que aquelas pessoas que possuem algum tipo de doença crônica ou estejam se recuperando de algum procedimento cirúrgico concluam a internação em casa e desocupem os leitos nos hospitais públicas.

A portaria que lançou o programa foi publicada no dia e tem como principal objetivo evitar que o atendimento em casa seja um custo extra no orçamento da família brasileira. Dessa forma, é possível economizar até 65%. Para poder utilizar o programa, as pessoas deverão estar inscritas no cadastro Único da Programas Sociais e ainda ter rendimento mensal de até três salários mínimos.

O governo pretende destinar R$ 8,6 milhões ate dezembro deste ano para o projeto. Com este valor, será possível equipe 250 equipes multidisciplinares para realizem o atendimento e serem feitos os pagamentos dos medicamentos, equipamentos e transporte. O Ministério pretende implantar 1 mil saúdes até 2014.

Cada uma das equipes deve realizar o atendimento de até 60 pacientes. Em sua fala, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, comentou que só poderão credenciar equipes aqueles municípios que sejam cobertos com o Samu e que ainda disponibilizar 60 vagas em hospitais. O atendimento m casa será feito de segunda à sexta com jornada de até 12 horas diárias. Os beneficiados contaram com médicos de plantão para o atendimento em feriados e finais de semana.