Publicado em: sexta-feira, 01/06/2012

Medidas contra importados vai proteger fabricantes nacionais

As medidas adotadas pelo governo, como o IPI reduzido, tem por objetivo fortalecer as empresas da Zona Franca de Manaus. Elas atingem todos os produtos importados e nacionais, exceto aqueles produzidos em Manaus. Esse percentual não tributado equivale a 10% do total comercializado no país. Com essas medidas a receita espera receber R$122 milhões por ano. Outro produto que também terá alta de preços será de bebidas frias.

Governo aumenta imposto para importados para vender mais produtos nacionais

O imposto terá aumento para três produtos: motocicletas, aparelhos de ar-condicionado e micro-ondas. Com essa medida, os principais atingidos são os importados. A produção brasileira de motos, embora tenha crescido em 2011, perdeu 10% das vendas em 2012. A medida, portanto, pretende incentivar a compra de produtos nacionais. O setor reclama que os produtos feitos no Brasil perdem espaços para as motos importadas, mais especificamente as chinesas, que chegam ao Brasil com valores bem mais baixos. E além das motos, as indústrias de ar-condicionado e micro-ondas também passam por um período difícil e necessitam de medidas que auxiliem a competitividade. Conforme explicou Sandro de Vargas Serpa, subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal, a alíquota desses produtos não possibilitava a defesa da indústria nacional.

Medidas entram em vigor em setembro e impostos sobem de 15% a 35%

Essa medida passará a valer a partir de setembro. Com o IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados – mais alto, os produtos terão um preço mais alto para o consumidor. O IPI terá um aumento de 30% para 35% para o micro-ondas, de 20% para 35% para o ar-condicionado e de 15% para 25% nas motos. Todos os produtos terão essa cota mais elevada, exceto os produzidos em Manaus.