Publicado em: quarta-feira, 23/07/2014

Médico e enfermeiro acusados de omissão de socorro dizem que vigia já estava morto ao ser socorrido na calçada

Médico e enfermeiro acusados de omissão de socorro dizem que vigia já estava morto ao ser socorrido na calçadaO vigia Nelson França faleceu na noite do dia 16 deste mês após ter sido encaminhado a um hospital particular que fica localizado na região de Itaquera, pessoas que estavam no local acompanharam o sofrimento de Nelson que agonizava enquanto pedia por socorro na frente do hospital.

Uma testemunha gravou os últimos momentos de vida do vigia, no vídeo é possível ver quando um médico juntamente com um enfermeiro chegam ao local a população se revolta, no vídeo é possível identificar uma mulher dizendo que Nelson não recebeu atendimento pois não possuía o convênio médico, já que o hospital onde o vigia estava era particular.

Nesta terça-feira o médico e o enfermeiro, do hospital particular Santo Expedito, foram ouvidos pela polícia que investiga o caso e ambos disseram que quando chegaram onde Nelson estava, o médico declarou que verificou a pulsação do vigia e constatou que ele já estava morto, assim eles declararam ao delegado que esse foi o motivo pelo qual eles não encaminharam a vítima para dentro do hospital.

A polícia agora deve indiciar ambos por omissão de socorro ou por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, de acordo com informações de José Francisco Rodrigues Filho, que é o Delegado que investiga o caso o médico Adolfo Obando, que é nicaraguense, e também Leonardo Brambila Santos que é enfermeiro, foram responsáveis pelo atendimento ao vigia, na frente do hospital particular.

Segundo o delegado que é titular do 53ºDP foram ouvidos ainda mais três funcionários do hospital e também dois diretores, ainda nesta quarta-feira devem ser tomados os depoimentos dos bombeiros que realizaram o encaminhamento do vigia Nelson França ao Hospital Municipal Waldomiro de Paula, onde, de acordo com informações, ele já chegou morto.