MC Daleste: Caso segue sob investigação

Caso fatal de MC Daleste segue sob investigaçãoA Polícia Civil continua trabalhando no caso do assassinato do funkeiro MC Daleste e para conseguir desvendar a situação, a equipe de investigação precisará montar um croqui do local em que aconteceu o disparo da arma que atingiu a vítima. MC Daleste se apresentava em um show no interior de São Paulo, em Campinas, quando foi atingido pelo atirador até agora misterioso.

Rui Pegolo é o delegado que preside o inquérito e já afirmou que a proposta da elaboração do croqui é conseguir descobrir qual foi a trajetória realizada pelos disparos. O show em que MC Daleste foi assassinado aconteceu no último dia 6 de julho. Como o show estava sendo acompanhado por diversos fãs, que tiravam fotos e faziam o registro da apresentação em vídeo, o momento exato que o funkeiro foi assassinado está circulando pela internet em diferentes arquivos. Estas sequencias de imagens e também as fotografias serão uma boa pista que a polícia irá usar também para conseguir chegar até o assassino.

O que se supõe até o momento é que o assassino de MC Dalesta não estava infiltrado entre os fãs, mas sim em um local distante 20 ou 30 metros do palco. O delegado explicou ainda que conseguir descobrir o culpado agora é como avaliar um desenho com o croqui. A perícia voltará ao local do crime para cruzar as informações que eles já tem, que envolvem a localização de objetos atingidos pelos disparos, com a disposição do local onde o show acontecia. Somente com o cruzamento destas informações é que será possível determinar de onde os disparos partiram.

Daniel Pellegrine é o cantor que atendia pelo nome de MC Daleste. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal de Paulínia, também no interior de São Paulo, mas, aos 20 anos, não conseguiu resistir aos ferimentos dos disparos. Desde que as investigações para esclarecer a morte do funkeiro foram iniciadas, a equipe da Polícia Civil já chegou a receber cerca de 100 denúncias, com vídeos ou mensagens, de pessoas anônimas. Apesar de ser um número grande de pistas, o delegado afirma que nenhuma delas ainda foi suficiente para que eles chegassem diretamente ao culpado, ou mesmo algum suspeito. Até lá, os peritos continuam avaliando as imagens em busca de alguma respostas para o caso.

+ Famosos

Buscar

Curtir